Artigos

sábado, 30 de setembro de 2017

Ensino que faz sentido

Ensino que faz sentido


Quem nunca se perguntou durante a vida escolar: “por que aprender isso?” Ao longo do tempo, os estudantes avançaram nos questionamentos e argumentos usados para elaborar essa pergunta. E com razão! O aprender sem sentido é algo mecanizado que ficou para trás.  Nesse mundo de avanços constantes, a criticidade e o poder de argumentação são ferramentas essenciais para o crescimento e a formação cidadã.
Faz-se necessário ter sentido para aprender. O aprendizado precisa estar ligado à vida fora da escola, através de pontes feitas pelo professor. David Ausubel (2000), importante pesquisador da área educacional, aponta em seus trabalhos que a aprendizagem significativa faz-se pela interação entre conhecimentos prévios e conhecimentos novos e que tal interação deve ser mediada pelo professor. Nesse processo, os novos conhecimentos adquirem significado para o aluno enquanto os conhecimentos prévios tomam perspectivas sólidas.
A vivência dessa aprendizagem significativa faz parte da rotina do Colégio Objetivo. As práticas pedagógicas em sala de aula tem o intuito de despertar os sentidos e fortalecer a argumentação dos docentes a partir dos conteúdos propostos na apostila. Assim, o aluno tem possibilidades de, realmente, compreender e utilizar tais conteúdos, além de pensar em situações práticas para transformar o meio em que vive.
Nessa perspectiva, no ano de 2017, os alunos do 8° ano desenvolveram um trabalho significativo a partir do assunto “doação de órgãos”, discutido nas aulas de ciências. O tema é uma proposta da apostila que, a partir da mediação em sala, estendeu-se para fora da escola. Um grupo de alunos desenvolveu uma pesquisa aprofundada sobre o assunto, realizando entrevistas, pesquisas teóricas e de campo. Em um segundo momento, os discentes desenvolveram uma campanha para despertar a consciência da comunidade sobre a importância social do assunto, a qual foi apresentada na Feira do Conhecimento do Colégio. Essa campanha foi apoiada por várias instâncias comerciais da cidade e teve uma repercussão positiva.
Dessa forma, é possível entender que a facilitação da aprendizagem significativa, utilizando o material apostilado, é possível e depende da postura pedagógica adotada pela escola. É preciso renovar o olhar sobre as práticas educativas, ver novos caminhos e novas possibilidades, através das quais, a escola forme cidadãos críticos, argumentativos e produzam sentido na vida dos nossos alunos. Afinal, você aprenderia se não soubesse o porquê?


Taís Silva
 Professora do Ensino Fundamental - Colégio Objetivo Guaxupé
Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Lavras – MG
Especialista em Gestão do Trabalho Pedagógico (Uninter)

 
Referência bibliográfica:
 
Ausubel, D.P. (2003). Aquisição e retenção de conhecimentos. Lisboa: Plátano Edições Técnicas. Tradução do original The acquisition and retention of knowledge (2000).
 
 

Galeria de fotos 1 foto(s)