Artigos

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

Rotina: Desafio para as Novas Estruturas Familiares

Rotina: Desafio para as Novas Estruturas Familiares Atualmente, estabelecer uma rotina integrada a dos filhos, é um desafio. Tentamos estabelecê-la, mas com o passar do tempo, não conseguimos fazer dela realmente um hábito.
Entende-se por rotina justamente o “hábito de fazer uma coisa do mesmo modo” ou “ sequência de instruções ou etapas na realização de uma tarefa ou atividade”. Colocá-la em prática e fazer dela um habito,  é desafiador para pais e responsáveis, mas se conseguirmos adquirir este comportamento, ajudaremos nossas crianças e adolescentes em muitos aspectos, tanto físico quanto psí­quico. Ter rotina é ter regra, regras são essenciais na vida de todos, principalmente na infância e adolescência , pois direciona, organiza e equilibra nossas vidas.                                                                                       
Rotina envolve otimizar o tempo, nos organizar di­ante dele. O tempo para a criança é algo muito complexo, o processo de aprendizagem de tempo/espaço (conhecer dias da semana, meses do ano, verificar horas no relógio) é longo, sendo possível verificar dificul­dade em até crianças de oito anos. Através da rotina, a criança consegue antecipar o que irá acontecer e a adaptar seu comportamento à tarefa seguinte.                                                                          
Um ambiente com rotina se torna um ambiente organizado, cada coisa em seu lugar, cada coisa no seu tempo. Além de trazer segurança e previsibilidade para as crianças e adolescentes, oferece também outrosbenefícios como desenvolvimento da autoconfi­ança, menor sentimento de frustração e ansiedade, gerando adultos mais responsáveis, seguros de si e organizados.                                                                                                  
A falta dela ou seja, horários irregulares para brin­car, fazer dever de casa, dormir e  refeições servidas em horários diferentes, geram nas  crianças  inseguranças e desorientação quanto ao tempo e es­paço. Este espaço desorganizado é refletido em comportamentos externali­zantes como: esquecer de fazer seu dever de casa, esquecer de tomar ba­nho, escovar os dentes e organizar suas coisas.                                                                          
Então como construir um ambiente pautado em uma rotina? Em primeiro lugar é importante entender o perfil de cada família, não se deve estabelecer uma rotina fora das atividades que cada contexto familiar apresenta. Assim alguns estudos apontam alguns aspectos que não podem sair de uma boa estrutura de rotina. São esses:
- hora de brincar (ter um ambiente onde as crianças podem brincar com brinquedos categorizados, cada um no seu lugar e estando visível e de fácil acesso)
- fazer dever de casa (apresentar um ambiente favorável, organizado com cadeira, mesa, etcpara eles terem aquele ambiente como referência para o estudo)
- refeições (refeições serem feitas com maior frequência em um mesmo ambiente e no mesmo horário ou com horários próximos)
- tempos em família ( atualmente os responsáveis pela criança/adolescente trabalham fora do contexto familiar, apresentando longas jornadas de trabalho e estando sempre muito ocupados, este aspecto enfatiza a importância de se ter um horário para estar com os filhos, não precisa ser uma grande quantidade de tempo, mas sendo uma quantidade pequena com qualidade)
- hora de dormir (ter uma ritual antes de dormir, começar por uma brincadeira mais calma, ler um livro, ter o próprio quarto, se não ao menos sua cama, tendo esta como referencial para seu descanso).      
 Depois de verificar o perfil da família e colocar estes aspectos como primordiais, é muito importante ter uma flexibilidade com a programação. Apesentar uma rotina rígida para criança pode gerar sentimentos como ansiedade e frustração algo que não queremos que eles apresentem. Assim a rotina é uma referência para a criança do que vai acontecer em cada etapa do seu dia e não algo imutável.                                                                         
Muitas vezes vamos nos deparar com situações em que vão estar fora das nossas rotinas e precisaremos fazê-las, este acontecimento é completamente normal em qualquer família principalmente nos finais de semana, mas o que fazer quanto sairmos da rotina? Devemos sempre avisar as crianças principalmente quando isto acontecer, explicar o real motivo pelo qual está fazendo algo diferente do habitual, por exemplo, almoço mais tarde nos finais de semana ou até mesmo estender o horário de brincar e tentar voltar à rotina ao longo da semana.                                                              
Colocar a rotina em prática e fazer dela um habito, é um desafio  para os pais e responsáveis de crianças e adolescentes dos dias de hoje, porém quando conseguimos adquirir este comportamento ajudamos a nós mesmos a otimizar o nosso tempo, termos tempo de qualidade e não ficarmos sempre correndo como se estivéssemos atrasados. Conseguindo isso, nossos filhos que nos vem como exemplo, irão incorporar este hábito com mais familiaridade trazendo benefícios para todos.                       
                                                                                                                                                                                                    
 

Galeria de fotos 1 foto(s)