Evento Liberdade

Neste bimestre, a partir dos encontros com os estudantes, identificou-se a necessidade de as turmas do Fundamental 2 refletirem e aprofundarem seus conhecimentos sobre o tema Liberdade, que foi tratado em todos os segmentos de ensino e apresentado no evento cultural, no dia 09/11/18.
Para as turmas de Educação Infantil, o livro “O que é liberdade?”, de Renata Bueno, embasou as reflexões voltadas ao universo infantil. Para os alunos do Ensino Fundamental 1, os livros “ O catador de pensamentos” e “Quando as cores foram proibidas”, de Monika Feth e Antoni Boratynski, direcionaram o projeto com essa faixa etária. E, aos estudantes do Fundamental 2, textos variados de diferentes autores foram abordados nas aulas de Filosofia. Debates, assembleias e diversas possibilidades de se tratarem o assunto foram realizados no decorrer do semestre, o que possibilitou a apresentação do evento “Liberdade” num formato dinâmico, bem humorado e reflexivo, cuja trilha sonora foi inspirada nos diferentes espetáculos do Cirque Du Soliel.
As apresentações da Educação Infantil consistiram na temática da liberdade de ser criança: brincar, experimentar, descobrir, de forma espontânea, em que o lúdico, o faz de conta e a criatividade permeiem esse contexto. “As crianças precisam brincar livremente, ao mesmo tempo, que são educadas num ambiente de regras e limites”.                   
Na medida em que cresce, a criança percebe que as cobranças, principalmente, relativas às questões escolares,  intensificam-se. Mas tal exigência precisa acontecer em todas as instâncias da vida, do contrário, essa criança terá maior dificuldade de enfrentar as frustrações, conflitos e desafios que surjam. Falar em liberdade também pressupõe falar em responsabilidade, porque ambas caminham juntas e auxiliam no processo de escolhas do indivíduo.
Da adolescência à passagem para a fase adulta, surgem inúmeros sentimentos contraditórios, o que desencadeia uma sensação de pressão constante no interior da maioria dos adolescentes. Esse percurso precisa ser considerado pelos educadores e familiares como um processo tão relevante quanto os objetivos a serem alcançados na fase adulta. Isso fará toda a diferença na compreensão do princípio de liberdade e como o aplicará em sua vida.